fbpx

Psicologia financeira do dinheiro? O que aprendi com o livro…

Psicologia Financeira do Dinheiro? O que aprendi com o livro

É possível aprender Psicologia Financeira do dinheiro? O que aprendi com o livro A Psicologia Financeira.

\"Psicologia
Livro: Psicologia Financeira – Morgan Housel

O maior espetáculo da terra (por dentro da psicologia financeira e do dinheiro)

Uma das primeiras frases que é colocado como premissa do livro é: “Sucesso financeiro tem menos a ver com a sua inteligência e mais a ver com o seu comportamento.

Quantas histórias já ouvimos de pessoas famosas que conquistam muito dinheiro e no final da vida deixam apenas dívidas e problemas para seus dependentes? Talvez você já tenha escutado alguma história de pessoas que viveram suas vidas de uma forma mais simples e ao final dela deixou uma quantia relevante para seus sucessores.

Por isso, que tem menos a ver com inteligência e mais com comportamento. No mercado financeiro podem existir histórias que pessoas com pouca instrução ganharam mais que mestres e doutores. Tudo isso por conta do que dizemos ser a psicologia financeira do dinheiro.

Provavelmente você já tenha encontrado algo na internet ou em livros que se você economizar X ou % do seu salário por mês você se tornará milionário (ou a quantia que deseja) em algum momento. Você está certo o problema é PARTE matemático, conseguimos a solução em minutos.

Como chegar até lá…?

No entanto, o problema não está em descobrir o valor do objetivo, mas em COMO alcançá-lo. Podemos colocar uma meta de investir 1.000 reais por mês durante 10, 15 anos porém você continuará nesse compromisso por quanto tempo até ter um valor que possa ser gasto em algo que deseja no momento? Ou uma oportunidade que você entende ser ótima?

Nesse momento que entra o comportamental e é isso que difere os que tem sucesso com pouco conhecimento dos que fracassam com muito conhecimento. Utilizando a regra 80-20, digo que é 80% comportamental e 20% matemática.

(você conhece que não são consideradas gênios mas vivem uma vida boa ótimo emprego e até com alguns luxos? Por outro lado, deve conhecer algumas pessoas inteligentes porém sem grandes sucesso ou pouco reconhecidas. Isso que é ter habilidade comportamental e controle emocional.)

Ninguém é maluco

Todo mundo toma a decisão baseado na sua história e isso afeta a sua vida financeira diretamente, muito mais que o aumento da taxa de juros ou a queda de uma criptomoeda. Nossos pais e avós que viveram na época de inflação alta terão paradigmas que não conseguimos entender e vice-versa e tomarão decisões de investimento baseado nesse histórico. Principalmente com as experiências que tivemos no início da nossa vida adulta serão lições que levaremos para a vida toda.

Aposentadoria é um ótimo exemplo, com aumento da expectativa de vida será cada vez mais importante ter um dinheiro para essa fase da vida, nossos bisavós trabalhavam até o fim da vida, pois a expectativa era baixa.

Sorte & Risco Financeiro

Ao ser perguntado “O que você gostaria de saber sobre investimentos que ainda não foi descoberto?” O ganhador do prêmio Nobel de economia em 2013, Robert Shiller responde: “O papel exato que a sorte desempenha em resultados bem-sucedidos”.

O papel da sorte existe, porém com a dificuldade de ser mensurada é desprezada. O risco, seu irmão gemeo também é dificil, embora alguns dizem que pode ser mensurado. Dizer que uma pessoa teve “sorte” é ser mesquinho e invejoso, mas não é isso que fazemos quando evitamos cometer os mesmos erros dos outros?

“Nunca se esqueça de que nem todo sucesso se deve ao trabalho duro, e nem toda pobreza se deve à preguiça”

Por fim, procure mais por padrões gerais em volta de indivíduos de sucesso do que em suas histórias ou casos específicos. Normalmente vemos os pontos fora da curva, e não as ações que em geral as pessoas de sucesso fazem.

Nada é o suficiente

Tenha um objetivo em mente. Ou como sua mãe dizia: “Tudo tem limite”. Conforme aumentamos nossa renda é comum o nossos custos aumentarem, porém devemos ter um valor e evitar reajustá-lo. Tenha em mente o quanto é suficiente para você. Pois quanto mais aumentamos, mais riscos ficamos expostos e podemos colocar tudo a perder, ou seja, saiba o “quanto é suficiente”.

Então você me diz que chegado a um certo valor devemos perder a vontade e ser conservador, talvez. Quanto vale o tempo e o amor da sua família e amigos? Liberdade de poder ir onde e quando quiser? Se você respondeu inestimável, entendeu o ponto.

Lembre-se: Riqueza e inveja caminham juntos e a comparação social irá fazer com que você pense em subir seu estilo de vida.

Compostos e confusos

Warren Buffet conquistou 96% do patrimônio após os 65 anos, no entanto nossa mente não está programada para isso. Acredito que você conheça o conceito de juros compostos. Diversos livros tentaram retratar a estratégia de Buffet. É simples, ele começou a investir – literalmente – quando era criança e a consistência nos aportes levou ele a ser bilionário.

Embora entenda o conceito de juros compostos não é intuitivo para nossa mente entender a exponencialidade deles. Visto que alguém que tenha um retorno médio 3 vezes maior que Buffet porém metade do tempo conquistará apenas 1/4 que Buffet conseguiu por conta do dos juros compostos e o tempo fazerem efeito.

Outro exemplo, os especialista de tecnologia não puderam prever o crescimento e avanço da tecnologia de armazenamento de dados. Portanto, você não precisa de uma força fora do comum para resultados fora do comum. Como disse Buffet uma vez “Investir é mais observar a grama crescendo ou a tinta secando”

Ficar rico vs continuar rico

Tornar-se rico e permanecer com dinheiro são competências diferentes. Todos querem ficar ricos e muitos ensinam (ou tentam), mas poucos falam de como permanecer rico. Porquê é simples e não é sexy ou legal falar sobre isso.

Para tornar-se rico, necessita de como vimos, consistência nos aportes (correr risco e se expor), otimismo (que aquilo irá dar certo) e controle no estilo de vida (saber o suficiente). Para continuar rico precisa de humildade (manter o suficiente) e medo de que possa perder o que conquistou, você já deve ter ouvido “se expor a ruína” ou sobreviver.

Por fim, você tem que ser paranóico no curto prazo para sobreviver ao otimismo do longo prazo.

Devagar e sempre

O histórico mostra que aportes constantes, independente da situação da economia vencem qualquer outra estratégia. Saber o momento de investir exige que análise e informação que não está disponível para o investidor.

Por isso, investir constantemente, deixando posições vencedoras seguir e controlar as perdas pode ser a diferença entre sucesso e fracasso. Entenda que investimentos ruins irão acontecer, porém se quando acertar, ganhar mais do que a soma dos insucessos isso fará a diferença no longo prazo. Você pode estar errado metade das vezes, e, ainda assim, ficar milionário.

Liberdade

Liberade é poder fazer o que quiser, com quem quiser, quando quiser no tempo que quiser. Cada um tem o seu conceito sobre riqueza, mas liberdade de tempo é praticamente encontrado na maioria das respostas.

Acredito que é por isso que as pessoas devem buscar a liberdade financeira, acumular um montante para que chegue o momento de dizer: “Trabalho porque quero e não porque preciso” ou não trabalhe.

O paradoxo do dono do carro na psicologia financeira e dinheiro

Ninguém liga para o dono do carro, todo mundo obseva apenas os bens e posses que você tem pois também gostariam de utiliza-los. Pense nisso quando for comprar um produto pensando “no que as pessoas vão pensar”. Ninguém liga para o proprietário. Respeito e admiração são adquiridades de outras formas.

Fortuna é aquilo que você não vê

Quantas vezes você já conheceu pessoa que pareciam não ter dinheiro e depois descobriu que era verdadeiros milionários? E o oposto, pessoas que no instante que conhecemos acreditamos serem abastadas mas no fim é apenas aparência.

Riqueza é tudo aquilo que você consegue enxergar, um bom carro, uma casa grande, bens de luxo. Isso lhe dá a sensação que a pessoa é rica, porém a verdade é que a informação que temos é que alguém gastou um dinheiro naquele bem, apenas isso.

Fortuna é tudo que não enxergamos, pois a pessoa não gastou aquele dinheiro e provavelmente está sendo utilizado para conseguir mais dinheiro. O ser humano subestima o que gasta e superestima o que recebe. Portanto, gastar dinheiro para mostrar às pessoas quanto dinheiro você tem é a forma mais rápida de ter menos dinheiro.

Guarde Dinheiro

Acumular poupança não tem nada a ver com o quanto você ganha e retorno dos investimentos, mas quanto você controla os seus gastos. É possível acumular uma fortuna com uma renda baixa, mas impossível acumular sem guardar dinheiro.

Renda menos custos de vida é igual ao que podemos investir. E o fator que temos mais controle é o custo de vida, e ele conflita diretamente com o nosso ego ou humildade, pois é dificil reduzir o custo de vida. Pense nisso, quanto menos forem seus gastos mais terá para investir na liberdade financeira. O único fator sobre o qual você tem controle gera uma das únicas coisas que realmente importam.

Razoável > Racional

Finanças é um assunto que na teoria pode ser resolvido de forma matemática, é simples calcular o quanto que uma pessoa precisa para viver na aposentadoria ou o retorno de uma carteira para atingir a liberdade financeira mais rápido.

Porém atrás dos números existem pessoas, e pessoas tem sentimentos que não aceitam reduzir o custo de vida ou ver sua carteira de investimento derreter na primeira queda. 

Por isso que ser razoável é melhor do que que ser racional. Racionalmente cortar um café ou algum outro prazer faz sentido economicamente falando, mas no longo prazo não se sustenta.

Surpresa

A história é tratada como se fosse um mapa exato do futuro, e o que vemos recorrentemente que situações que nunca aconteceram acontecerem o tempo todo, chamados de eventos de cauda longa. O motivo disso? A história é feita por pessoas e pessoas tem sentimentos, portanto não são previsíveis.

Esses acontecimentos imprevisiveis transformam a sociedade de forma estrutural, de modo que novos eventos podem ocorrer que nunca foram previstos. Quanto mais longe o evento do ponto que estamos, mais genérico ele deve ser entendido.

A forma como as pessoas lidam em relação a ganância e o medo e como reagem sob estresse é o que devemos aprender com o histórico.

Margem para imprevistos

A parte mais importante de uma plano é ter um plano para quando o plano não estiver saindo de acordo com o plano.

Todo plano tem um risco de dar errado. É importante sabermos o lado negativo da probabilidade, mesmo que seja pequeno, e se o resultado negativo for tão reverso talvez não compense o seu risco, portanto não há margem de segurança.

A margem de segurança serve para que a previsão não seja necessária, como diria Buffet. Fazer previsões é dificil e muitas vezes impossível de ser mensurada, por isso entra em cena a margem. No entanto, o que vemos são analistas colocando preço certo em uma ação ao invés de uma margem de preço.

Você vai mudar

Planejar para o longo prazo é necessário, porém as coisas mudam e provavelmente vão mudar. O pior cenário é não ter ideia do que vai acontecer no futuro e não ter um plano. Então, por mais que o planejamento não se realize, é necessário ter um plano para guia-lo. Pois nossas opiniões mudam com o passar do tempo.  

Da mesma forma que subestimamos nossa renda e gastos, subestimamos nossos planos e quanto iremos mudar no futuro. Devemos evitar os extremos, uma renda muito baixa ou longas jornadas de trabalho para aumento provavelmente não se concretizarão.

Nada é de graça (no mundo das finanças e do dinheiro)

Descubra o preço a ser pago o quanto antes e defina se é justo para você. Se houver um imprevisto, encare como uma “taxa” e não uma “multa” e continue com a estratégia.

Quando for fazer um investimento saiba o preço a ser pago. Normalmente só descobrimos quando estamos dentro, e talvez tenha uma volatilidade negativa, aprenda com isso e trate como deve ser tratado, algo pontual que é intrinseco do ativo. Se você tratar como uma multa ou punição entenderá que não faz sentido e sairá perdendo.

Você & Eu

O horizonte de tempo das pessoas são diferentes. Por isso que um investimento que faz sentido para mim pode não fazer qualquer sentido para você. Como investidor de longo prazo, notícias e movimentos no curto não devem ser acompanhados.

A sedução do pessimismo

Ser otimista é acreditar que as chances estão a seu favor e não que não há chances de revés negativo. É pensar que as pessoas buscam ser melhores e fazer o mundo melhor a maior parte do tempo.

O pessimista parece ser mais inteligente e astuto, chama atenção, e muitas vezes mais certo. Reveses acontecem do dia para a noite e acabam chamando atenção, o progresso, por outro lado acontece aos poucos passando muitas vezes imperceptivel.  

Quando você acaba acreditando em qualquer coisa

Mais importante do que os acontecimentos, são as histórias que contamos sobre eles e o que acabamos criando a perspectiva sobre eles. Por isso, que quanto menor a distância do que projetamos e o que é razoável ser verdade ou aceitável, melhor você sairá no longo prazo.

Sobre essas histórias, assim como tudo que prevemos, sempre estarão subestimadas sobre o controle que temos sobre elas, ou seja, acreditamos que temos muito mais influência do que realmente temos.

Confissões sobre a psicologia financeira e dinheiro

A independência, em qualquer nível de renda, é impulsionada pela taxa de poupança. E, a partir de um nível de renda sua taxa de poupança é impulsionada pela capacidade de evitar que o seu estilo de vida saia de controle.

Estratégia de investimentos deve ser simples: capacidade de poupança, paciência e otimismo sobre o mercado nas próximas décadas.

Continua…

  • Breve história sobre por que o consumidor americano pensa da forma que pensa
  • Breve história sobre por que o consumidor brasileiro pensa da forma que pensa (ver pagina 87-88 para Brasil).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.