fbpx

Quanto rende a poupança?

Por que rende pouco a caderneta de poupança?

Você já deve ter ouvido falar que a poupança não rende nada de juros ou que a caderneta de poupança é o pior investimento que existe. Mas afinal, por quê?

É possível fazer simulações quanto de juros é pago pela Poupança, Selic e CDI. E enfim, podemos verificar a inflação para o período determinado. Todos os cálculos foram realizados com a Calculadora do Cidadão no site do Banco Central

O que é poupança (ou caderneta de poupança)?

Antes de mais nada a poupança é o investimento mais comum e conhecido pelo brasileiro, pois era ela que em tempo de hiperinflação pagava os juros “overnight”, não vou entrar em detalhes, mas o fato é que o brasileiro acostumou-se e acomodou-se manter sua “poupança” ou “reserva” nessa modalidade de rendimento, porém em 2021 é o investimento que menos rende e perde para a inflação.

Em primeiro lugar, é necessário deixar claro que os juros da poupança só são pagos na data de “aniversário” de 1 mês da aplicação. Isso quer dizer que se você investir no dia 01 de janeiro apenas no dia 01 de fevereiro será pago os juros e caso seja resgatado total esse investimento antes do aniversário, não será pago juros (no caso de resgate parcial o saldo mínimo no período é contabilizado para o cálculo dos juros).

Nesse sentido, vamos ao que interessa, simulando um investimento em março de 2020 – no início da pandemia – Qual seria o valor pago 1 ano depois? Quanto rende 18 meses depois?

Quanto rende a poupança?

Rendimento da Poupança em 12 meses
Rendimento da Poupança em 12 meses
Rendimento da Poupança em 18 meses
Rendimento da Poupança em 18 meses

Podemos analisar que respectivamente 1,82% e 2,72% (para 12 e 18 meses). Parece baixo, mas é necessário comparar com outras classes de investimentos para que tenhamos um análise completa, portanto vamos verificar com a Selic (taxa básica de juros) e o CDI que é uma referência para aplicações em renda fixa no país.

Rendimento da Selic em 12 meses
Rendimento da Selic em 12 meses
Rendimento da Selic em 18 meses
Rendimento da Selic em 18 meses

Na comparação com a Selic, fica clara a rentabilidade superior 2,55% e 4,14% (para 12 e 18 meses). Lembrando que a Selic é a taxa de remuneração encontrada nos títulos mais seguros da economia emitidos pelo Tesouro Nacional – LFT.

Quanto rende os juros do CDI?

Rendimento do CDI em 12 meses
Rendimento do CDI em 12 meses
Rendimento do CDI em 18 meses
Rendimento do CDI em 18 meses

Analisando os rendimentos indexados a CDI que são referência para os títulos de renda fixa no país temos 2,55% e 4,14% (para 12 e 18 meses). Pelo CDI acompanhar a taxa basica de juros (Selic) temos rendimento muito próximo.

Portanto, em ambos investimentos teríamos incidência de IR sobre o rendimento que ainda assim garantiriam um ganho frente a poupança. Sendo o IR 20% e 17,5%, teríamos 2,04% e 3,42%, respectivamente. Muito superior ao encontrado na poupança, livre de imposto (1,82% e 2,72%).

A poupança rende menos que os investimentos atrelados a Selic e CDI (juros)?

Sim, contudo esses investimentos não acompanharam a inflação que no período analisado ficou conforme as tabelas abaixo:

Resultado da Inflação em 12 meses
Resultado da Inflação em 12 meses
Resultado da Inflação em 18 meses
Resultado da Inflação em 18 meses

No período analisado, a inflação ficou em 6,17% e 9,94% (para 12 e 18 meses). Isso quer dizer que o investidor perdeu poder de compra. Os R$1.000,00 investidos em 03/2020 deveriam valer R$1.061,74 e R$1.099,40 para manter o poder de compra.

É o fim da Renda Fixa no Brasil?

Os economistas e vendedores de produtos financeiros utilizam essa manchete como forma de trazer investimentos da poupança para o mercado de investimentos (seja de renda fixa mais agressiva ou renda variável). Afinal, temos cerca de R$ 166 bilhões na poupança (dados do Bacen em dezembro de 2020).

Em outras palavras, os produtos de renda fixa que pagam Selic ou 100% do CDI devem ser utilizados para reserva de emergência ou colchão de segurança (liquidez – objetivo de ter disponível o valor no mesmo dia ou no máximo dia seguinte) e por terem uma rentabilidade baixa devem ser muito bem mensurados para não perder eficiência nos rendimentos do patrimônio pessoal e familiar.

Afinal quanto que a poupança rende é o pior investimento no Brasil?

Atualmente a remuneração da poupança é caso a Meta Selic inferior ou igual 8,5% ao ano, a remuneração é de 70% da Taxa Selic (+ Taxa Referencial que desde 2012 é 0%), se a taxa Selic for superior a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês. (Em 12/2021 a Selic é 9,25%a.a., portanto o rendimento da poupança é 0,5% ao mês).

Ainda assim, comparando produtos com o mesmo risco da poupança (Tesouro Selic, por exemplo) teremos 33%* a mais de remuneração o que torna a poupança uma aplicação inferior comparada a seus pares.

*0,5% ao mês é igual a 6,16% ao ano, portanto aproximadamente 33% do rendimento da Selic ao ano 9,25% a.a.

Por que continuar a aplicar na Poupança?

Para concluir e responder a pergunta – como estudioso da psicologia financeira – levanto 3 motivos ligados a psicologia humana para responder porque os brasileiros mantêm investimentos em poupança.

1-Status Quo – Praticidade e comodidade. Como disse, o investimento em poupança advém de décadas de inflação e costume de manter o dinheiro aplicado em produtos com liquidez imediata. O mercado de investimentos mudou e muitos brasileiros (R$166 bilhões de reais) continuam investindo como na década de 90. Um erro das pessoas que investem é entender que não mudar é uma escolha, e nesse caso errada.

2-Medo de Perder Dinheiro. A aversão a perda é um viés comportamental muito atrelado ao status quo, o ser humano tem mais medo de perder dinheiro do que vontade de ganhar. Isso quer dizer que prefere manter em algo “seguro” a arriscar e perder dinheiro, ou seja, ficar na inércia (e aí voltamos ao status quo nesse ciclo eterno).

3-Desconhecimento – De acordo com uma pesquisa feita pelo ganhador do prêmio Nobel Robert C. Merton diz “As pessoas não gostam de aprender sobre finanças pessoais” e “as pessoas não gostam de lidar com suas finanças pessoais” isso no mundo, somando as peculiaridades do nosso país (seja político, econômico ou judiciário) não é de se surpreender que o tema desencoraje ainda mais os brasileiros.

Por fim, para aprender o básico exige-se um grande gasto de energia, o que nosso corpo tende a evitar, por isso que o tema não é algo que anime a maioria das pessoas e por isso que grandes fortunas delegam essas questões para profissionais.

Fontes:

https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormCorrecaoValores.do?method=exibirFormCorrecaoValores

https://cfasociety.org.br/wp-content/uploads/2020/07/Livro_Ivens_Gasparotto.pdf

https://www.cnnbrasil.com.br/business/poupanca-tem-1-saldo-positivo-do-ano-em-abril-com-entrada-liquida-de-r-3-8-bi/#:~:text=Em%202020%2C%20a%20poupan%C3%A7a%20registrou,retomado%20em%20abril%20deste%20ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *